Mulheres Olímpicas de Tokyo 2020

Completos uma semana de Jogos Olímpicos de Tokyo, o Brasil conquistou posições nos pódios de modalidades tradicionais como ginástica rítmica e judô juntamente com históricas modalidades. Acompanhe como foi a vitória de cada um clicando aqui. Infelizmente, tivemos, também, grandes nomes que saíram da competição sem medalha.

Em jogo eletrizante, infelizmente nossas meninas do futebol não continuaram na competição, mas vale ressaltar todo o empenho das jogadoras e a possível despedida de duas estrelas que inspiram inúmeras meninas: Marta e Formiga, que são vencedoras e detentoras de recordes. Nossas guerreiras tem muito futebol para mostrar, neste momento é importante incentivar o esporte que contagia apreciadores a cada dia.

Duas vezes Rebeca Andrade

Com um início marcante nas Olimpíadas, ao som de “Baile de Favela” rendeu o Prata para Rebeca Andrade na Ginástica Artística. Para abrilhantar ainda mais, a paulista de Guarulhos de 22 anos, conquistou histórico ouro no salto da modalidade.

Pódio inédito

Estamos marcando pódio em esportes tradicionais que, até então, nunca haviam sido conquistados por brasileiros. Laura Pigossi e Luisa Stefani fizeram história ao ganharem a primeira medalha do tênis brasileiro em Jogos Olímpicos.

A medalha de bronze inusitada e vibrante

No Judô, Mayara Aguiar conquistou um homérico bronze olímpico (Londres 2012, Rio 2016 e agora Tokyo 2020). Após superar lesões durante o ano,  brasileira, em Ippon, derrotou Hyunji Yoon e se tornou uma das maiores figuras do judô feminino carregando a posição de 32ª medalhista do esporte. O esporte conheceu a força do brasileiro Daniel Cargnin, o gaúcho derrotou ninguém menos que Manuel Lombardo, número um do ranking mundial nas quartas de final, porém foi derrotado na semifinal pelo japonês Hifumi Abe, que lutou pelo ouro.  Na disputa pelo bronze.

Nosso bronze da natação veio com o atleta Fernando Scheffer, o gaúcho de Canoas, administrou o fôlego na prova de 200m livre com o tempo de 1m44s66. Na raia oito sua classificação foi garantida pela diferença de  dois centésimos de vantagem do romeno David Popovic, o que foi o gatilho para sua recuperação na final.

Tókyo é delas!

Esta Olímpiada foi marcada por vários momentos difíceis pela pandemia, mas teve momentos que a fizeram ser tão especial. Esta foi a primeira edição em que foram ofertadas 50% apenas para as mulheres, marca que é vista em nosso quadro de medalhas. Todos nós vibramos com Rhayssa Leal, Rebeca Andradae, Mayara Aguiar, Laura Pigossi e Luisa Stefani.

Confirma o quadro de medalhas geral:

Quer mais conteúdos como esse?

Confira abaixo alguns posts relacionados.

Ver todos